m grupo de estudantes do curso de Publicidade e Propaganda de uma faculdade particular de Teresina teve uma ideia diferente para incentivar a adoção de animais sem raça definida. Já em clima natalino, Ismália Freitas e mais dois colegas decidiram fazer um ensaio fotográfico com alguns dos animais abrigados pela Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa).

“A gente estava fazendo um trabalho para uma feira da faculdade, o tema era algo social e a gente escolheu a adoção de animais sem raça definida, porque na época estava se falando muito daquele grande resgate feito pela Luisa Mell. Então resolvemos promover a Apipa, porque eles precisam muito que os animais sejam adotados”, explicou Ismália.

O grupo escolheu cerca de 10 animais, entre adultos e filhotes, todos sem raça definida e a apresentação do trabalho aconteceu no início de novembro. Isabel Moura, integrante da diretoria da entidade, declarou que apesar das orientações muitas pessoas ainda procuram o abrigo para adotar apenas animais “de raça”.

“É impressionante, mas ainda tem muita gente que só quer se for de raça, chega lá [no abrigo] procurando cada coisa que a gente quase não acredita. Pela nossa experiência, sabemos que só existem duas formas de ter um animal de raça no abrigo, que é quando está perdido ou quando foi abandonado porque tem alguma doença”, lamenta Isabel. 

Segundo ela, o ensaio deve ajudar a incentivar a adoção dos animais. O abrigo da associação possui hoje, de acordo com Isabel, mais de 250 gatos e cerca de 70 cães e precisa abrir espaço para novos animais que necessitam de cuidados. Para adotar, é preciso ir até a sede da entidadecom documento de identificação e assinar um termo de responsabilidade.

Além da adoção, é possível ajudar doando ração para cães e gatos adultos e filhotes. A associação recebe material de limpeza em geral e produtos ambulatoriais, para cuidado dos bichos doentes, como luvas, gaze, algodão, medicamentos e vitaminas de uso veterinário.

“Queremos que as pessoas adotem. Já chegamos a ter quase 400 gatos e precisamos que sejam adotados, que ganhem um lar. Nesse período de fim de ano as pessoas ficam mais sensibilizadas e costumam adotar mais, esperamos que esse ano seja assim também”, disse Isabel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here