Ainda esperamos pelo facelift do Renault Sandero no Brasil, previsto só para o 1º semestre de 2018. Enquanto isso, a Dacia, divisão romena da fabricante trabalha para lançar a nova geração do hatchback em 2019, segundo a publicação alemã Auto Bild. A principal novidade será a troca de plataforma, abandonando a velha base do Clio pela nova CMF-B da Aliança Renault-Nissan.

Confirmando toda a história, a fábrica da Dacia em Mioveni (Romênia) anunciou que irá produzir veículos com a plataforma modular CMF a partir de 2020 – o que dá uma janela de lançamento para o Sandero, com a possibilidade de estrear no Salão de Paris em outubro para chegar às lojas em 2020.

Até agora, o Sandero continuava a usar a velha base B0 da segunda geração do Clio (a mesma que foi produzida aqui até 2016). Essa plataforma é usada também no Duster e no Captur (o modelo emergente, pois o europeu usa a arquitetura do novo Clio). Além do Sandero, essa mudança também afetará o aventureiro Stepway e o sedã Logan.

A mídia alemã fala que o Sandero será equipado com o motor 1.0 de 76cv e o 0.9 turbo de 96 cv, variações da mecânica usada atualmente. A opção a diesel deve ser a 1.5 de 96 cv. Deve ficar maior, alcançando 4,1 metros de comprimento (atualmente mede 4,06 m). Assim como aconteceu com a nova geração do Duster, o hatchback não deve apostar em um design revolucionário, se contentando com evoluir a cara atual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here